Buscar
  • M.V. Karin Trannin

Um novo gato em casa, e agora?


É uma pergunta frequente e quase sempre acompanhada de um grau de frustração, pois, o tutor já tentou uma aproximação do novo morador com o seu gato e não deu certo.

A gente tem alguns passos e é RECEITINHA DE BOLO mesmo, mas nem sempre o bolo fica bom depois de pronto.

São 4 os passos que considero para uma introdução com RESPONSABILIDADE.

1º Passo: Quarentena

O mais importante dos passos! Serve para que o novo gato conheça a rotina da casa e se restabeleça. Enquanto isso, o nosso gato residente, começa a perceber que tem gente nova no pedaço! Não tenha pressa em tirar o novo integrante da quarentena, ok?! Deixe o tempo que for necessário para que a harmonização do ambiente vá acontecendo. Respeitar este passo é o início da boa convivência. Imagine que os dois gatos estão se sentindo igualmente ameaçados. É preciso que a ameaça deixe de ser uma ameaça. Dê tempo ao tempo!

2º Passo: Olfato

Agora que o novo membro já está devidamente instalado em o ambiente ENRIQUECIDO e super confortável (prateleiras, brinquedos, arranhador, caminha, caixa sanitária, caixa de papelão, fonte). Está na hora deles serem apresentados. Como assim?

Gateiros? Os gatos se comunicam vocalizando e deixando o seu cheiro no ambiente (passam a carinha um no outro, amassam pãozinho, se lambem...). O gato residente já está de antena ligada e já escutou o miado do novo integrante. Que tal dar uma mãozinha e acabar com um pouco da ansiedade que rola no ar?

Pegue um paninho limpo e passe pelo corpinho dos gatos, nas bochechinhas e patinhas (entre os coxins). Coloque o paninho com o cheirinho deles, debaixo do pote de comida de cada um (associação positiva). Rolou stress e um deles não quis comer? Retire o paninho e tente outra forma de apresentação. Trocar brinquedos, pode ser muito legal! Uma outra ideia é trocar os gatos de cômodo. Coloque o residente, na quarentena (só para ele sentir o cheiro do novo integrante) e o novo gatinho, deixe-o explorar a casa. Não espere que os gatos se sintam confortáveis ao trocarem de ambiente. Vai gerar medo, vão andar abaixados, vão fazer fuuuuuuu. Atenção, eles ainda não podem fazer contato visual! Além disso, cuidado com agressão redirecionada, já explique em um outro post. É só dar uma olhadinha no blog. Está tenso o ambiente? Volte ao 1º passo e espere mais um pouco.

3º passo: Técnica do Espelho

Se na sua casa tiver uma sacada ou uma varanda com porta de vidro, é o ideal. Coloque um papelão ou uma cortina para que os gatos não tenham contato visual. Então, pela manhã e à noite, horário da fome, coloque os potinhos da comida (a mais gostosa), afastados e um de cada lado da porta. Qual a reação dos mimis? Se eles comerem com tranquilidade, comece a aproximar os potinhos a cada dia até que encoste na porta, mas, se não quiserem comer e mostrarem sinais de agressividade, afaste os potes da porta até que voltem a se alimentar. Recomece essa etapa em outro dia, mas não insista!

Se tudo estiver caminhando bem, quando eles estiverem se alimentando, um de cada lado e com os potinhos encostados na porta, é o momento de fazer contato visual. A cada dia, vá levantando o papelão da porta ou afastando a cortina aos poucos. Se pintar um stress, retire o contato visual, afaste os potinhos da porta e recomece esta etapa.

Uma dica legal: se os mimis estão fazendo contato visual, comece a brincar com eles com varinhas de pesca, bolinhas de papel..., mas, cada um do seu lado ou brinque com eles por uma fresta (se coloque no meio). Vá abrindo a porta a cada dia.

4º passo: Brincando juntos

Parabéns! Você é um Gateiro Nato! Não é fácil conquistar todas essas etapas, leva tempo e às vezes dá vontade de desistir. Porém, eu garanto que a partir de agora, o seu aprendizado em relação a comportamento felino, é incrível! Além disso, seu amor por eles aumentou!

No entanto, nesta etapa, se rolar uma briga ou um rosnar ameaçador, não tente afastá-los com mãos. Ao invés disso, bata palma, separe os gatos e espere a tensão baixar. Se for necessário, volte alguns passos e recomece.

Sempre respeite a individualidade do gato. Nunca aproxime gatos sem uma orientação. As consequências podem ser traumatizantes e a reintrodução, difícil.

Nem todos os gatos passam por todas as etapas, os meus, bastaram 48 horas de quarentena para se amarem! Espero que com os seus, aconteça o mesmo.

Consulte um veterinário de felinos, pois ele poderá dar boas dicas sobre o comportamento dessa espécie.

Miaubjs da Vet do Ozzy e do Menino!

Karin Trannin

CRMV-PR 11.883


9 visualizações

ESPERAMOS SEU CONTATO

45 3306 6501 | 9 8801 0036

Rua Marechal Cândido Rondon, 3110 - Cascavel - PR

Atendimento: 09h - 12h | 13h30 - 18h30

© 2017 - 2020 -  Só Gatos - Consultório de Felinos